sábado, 23 de julho de 2011

Favela



FAVELA

Cinturão da pobreza nas grandes metrópoles,
efeito do crescimento desordenado sendo cobrado.
As riquezas se devem hoje, aos que se encontram excluídos do processo nesses locais. O estado de direito, simplesmente, não existe para eles, conseqüência da injustiça; aviamento parcial das benesses que esta estrutura proporciona.
Uma responsabilidade do conjunto da sociedade, que se exime, sem dar razões. Discrimina, para manterem-se alheios as suas incumbências.
Mesmo que não se fortaleça a consciência dessas obrigações, de devolver o que é justo e de direito aos excluídos do processo (atividades de produção cultural, econômica e intelectual, oportunidades e investimentos em educação, formação profissional e participações em programas de seguridade), esta sociedade marginal emergirá por si mesma, porque é a ordem natural que se restabelecerá em algum momento.
Numa perspectiva superficial, vemos um futuro de descaracterização da “favela”, por outra ordem, e, representação social. 
Em seu próprio processo de conceituação referencial, logicamente, se desenvolverá mecanismo capazes de transformar estigmas e rótulos, em representações distintas.
Haverá outra sociedade com o mesmo nome, porém, de conceitos renovados e bem desenvolvidos. Serão representações que a sociedade haverá de reconhecer por instituição própria, ativa e próspera, recriando espaços significativos que devolverão a dignidade, fundamental para uma sociedade, que se propõe justa com seus concidadãos.
O ideal seria que usássemos de bom senso, ao considerarmos os fatos e reconhecêssemos nossas obrigações não cumpridas. Aliarmo-nos pelo espírito da fraternidade, num grande movimento de desagravo.
Esse grande mutirão desvalorizaria tais distinções; tornaríamos o exercício da justiça e uso da verdade, uma atividade incumbida comum.

V Straight

Um comentário:

  1. Mt boa a biblioteca para baixar!
    Vlw, to seguindo pra pegar tds!

    ResponderExcluir